IPCA
0,1 Out.2019
Topo
Descomplique

Descomplique

Categorias

Histórico

Testei: se você não cozinha tão bem, é mais barato comer em casa ou fora?

Júlia Mendonça

05/11/2019 04h00

Quando aparece a necessidade de cortar gastos e economizar, um dos primeiros conselhos oferecidos por educadores financeiros é: pare de comer fora de casa e faça todas as refeições em casa.

Apesar de parecer bastante óbvio e de haver benefício imediato, nem sempre esse hábito pode se tornar financeiramente vantajoso. Há alguns meses fiz a experiência de comer todos os dias em casa por duas semanas e fora de casa por mais duas semanas. O resultado que obtive foi totalmente contrário ao que eu esperava. Comer fora de casa se mostrou mais vantajoso do que fazer todas as refeições em domicílio.

Veja também:

4 livros para ajudar na sua vida financeira

Estes sites buscam bolsas com até 70% de desconto para você fazer faculdade

Apartamento na planta, roupas, omelete: 5 coisas que não compro mais

5 maneiras de ganhar dinheiro com a internet

Diferença surpreendeu

A diferença não foi significativa e nos meus apontamentos gastei 5% a mais para comer em casa. Existe uma justificativa que corrobora esse gasto e que é particular para o meu caso, mas pode ser parecido para muita gente. Eu não sei cozinhar. Não é por preguiça ou falta de vontade de aprender, mas todas as experiências culinárias que tive resultaram em desastre. Comida queimada ou malcozida são minhas especialidades.

Por isso, a maioria das refeições que preparava em casa eram pré-cozidas ou nada muito elaboradas. Isso contribuiu para aumentar os meus gastos, tanto no almoço quanto no jantar. Houve refeições com as famosas comidas congeladas, que podem custar o mesmo do que um prato à la carte em um restaurante.

Durante o tempo em que comia fora de casa eu soube como ser muito econômica. Comia em restaurantes por quilo, evitava comprar bebidas durante as refeições, não comia sobremesa (não é um hábito que tenho em casa também) e fugia dos locais que cobravam mais caro.

Consegui achar restaurantes por quilo onde gastava R$ 12 no almoço. Mesmo valor que gastei comprando itens básicos para poder cozinhar em casa.

Onde é possível economizar

No período em que só comia em casa eu consegui economizar muito no café da manhã e no lanche da tarde. Comprar os ingredientes dessas refeições e usá-los durante os dias seguintes é a melhor maneira de fugir dos altos preços que as padarias cobram por lanches simples como um misto-quente, que pode chegar a mais de R$ 10, mas que custa menos de R$ 5 para fazer em casa.

Com esse experimento, percebi algumas atitudes que serão determinantes para diminuir bastante esses gastos:

Caso não tenha tempo para cozinhar durante a semana, prepare as refeições no final de semana e congele.
Evite compras pequenas no mercado. O ideal é fazer uma lista com todos os itens de que necessita e ir duas vezes por mês às compras. Visitas frequentes farão você gastar com itens desnecessários.
Evite ao máximo produtos congelados – além de caros não são saudáveis.
Caso comer em casa não seja uma opção, procure restaurantes por quilo ou leve comida preparada de casa para esquentar no micro-ondas.

Para pessoas solteiras ou que moram sozinhas, que não têm com quem dividir as compras, é muito fácil haver sobras e restos e com isso, o desperdício de comidas. Pães e frutas estragam rapidamente e é necessário compras em pouca quantidade para evitar isso.

As conclusões finais

Minha conclusão foi que comer em casa gasta muito mais tempo e dá bem mais trabalho e que comer na rua é mais prático e bem mais rápido, porém exige um cuidado maior nas escolhas feitas. O segredo está no equilíbrio.

Se escolher uma refeição do dia para fazer em sua casa, opte pelo jantar. No almoço, existem muitas opções mais baratas e com mais diversidade em bufês por quilo e com maior diversidade do que no jantar.

Já colocou no papel o quanto gasta com alimentação? Experimente anotar tudo e ver o que pode modificar no seu dia a dia para ser mais econômico.

Descomplique: Como ter uma renda extra sem sair de casa

UOL Notícias

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

Sobre o Blog

Dinheiro, finanças e investimentos de um jeito fácil e muito prático. O Descomplique vai fazer com que sobre grana no teu mês (e não o contrário!). Com linguagem simples e sem esconder as armadilhas do dia a dia que te deixam no vermelho, aqui você vai aprender a cuidar melhor do teu dinheiro e fazer com que ele trabalhe para você.

Blog Descomplique