PUBLICIDADE
IPCA
0,25 Fev.2020
Topo

Histórico

Categorias

Vontade de entrar na Bolsa no meio do turbilhão? Veja opções

Júlia Mendonça

10/03/2020 04h00

A Bolsa de Valores foi a grande estrela dos investimentos em 2019. Ano passado chegamos a 1,5 milhão de investidores, quase dobrando o número do final de 2018. Nas últimas semanas, as notícias sobre o coronavírus tiveram grande impacto na renda variável, e as quedas têm sido muito grandes, com recordes de perda e até paralisação nas operações do mercado. É um momento muito delicado para novatos entrarem na Bolsa.

Mas se você tem um perfil de investidor arrojado e quer tentar, há algumas opções além de comprar ações diretamente. Para o longo prazo,  ETFs e fundos imobiliários ainda continuam sendo bons investimentos, se você tiver sangue frio. Separei os ativos mais adequados para quem deseja iniciar na Bolsas com mais segurança, mesmo diante dos temores globais que derrubam mercados.

Atenção: este artigo não é uma recomendação de investimentos. As aplicações de renda variável são sujeitas a variações diárias e você pode perder dinheiro nesse tipo de ativo. Principalmente na situação atual.

Veja também:

Reserva de emergência: com juros baixos, onde é melhor deixar esse dinheiro 

Ações: conheça as siglas do mercado para perder o medo e começar a investir 

Veja passos simples para escolher o melhor fundo imobiliário e lucrar mais

ETF

Os ETFs são um jeito fácil e barato para investir na Bolsa. ETF significa Exchange Traded Fund e, apesar desse nome esquisito, é algo bem fácil de entender. Ele é um fundo vendido como se fosse uma ação. Quando você compra um ETF, está investindo em várias ações de várias empresas diferentes ao mesmo tempo. Gosto de dizer que o ETF é como se fosse uma coletânea, como aqueles CDs de melhores sucessos. Nesse caso, são os sucessos da Bolsa de Valores.

Existem vários tipos de ETF e o mais conhecido e negociado atualmente é o BOVA11, que acompanha o índice Bovespa (Ibovespa). Quando você escuta nos jornais: "A Bolsa caiu 1% ontem, porém hoje subiu 2%", é sobre o Ibovespa que estão falando. Esse índice mede o quanto as ações mais negociadas da Bolsa valorizam ou desvalorizam.

FUNDOS DE AÇÕES

Nos fundos de ações você confia a um gestor a escolha das ações na sua carteira de investimentos. Ele é encarregado em acompanhar o mercado e fazer as escolhas de investimento de acordo com as estratégias do fundo. Em troca disso, você paga uma taxa de administração para o fundo e uma taxa de performance caso o desempenho do gestor seja bom.

Antes de escolher um fundo de ações é necessário estudar quais são as táticas usadas pelo gestor para escolher os ativos. Alguns fundos são bastante agressivos e pode haver muita volatilidade com o seu dinheiro. É importante ficar atento a isso.

FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO

Os Fundos de Investimento Imobiliário, ou FII, são um dos investimentos que mais renderam e atraíram mais investidores em 2019. Com eles, você consegue investir em imóveis pela Bolsa.

Funciona assim: imagine que você queira investir em um imóvel grande, aquele mais luxuoso da sua cidade, para então alugar salas paras as melhores empresas e receber aluguel delas todos os meses. Então, o que você faz, já que não tem grana suficiente para comprar esse prédio? Convence outros investidores a colocar dinheiro no negócio para comprar o imóvel e dividir o aluguel entre vocês. Os fundos imobiliários funcionam exatamente dessa forma. Você compra uma cota deles pela Bolsa de Valores e consegue participar dos melhores imóveis do Brasil, recebendo aluguel todos os meses sem imposto na conta da sua corretora.

Existem diversos tipos de FII. Alguns são especializados em investir em shoppings, outros em galpões industriais, outros em prédios de escritórios. Pode ser, inclusive, que você já conheça alguns desses prédios e nem sabia que dava para investir neles pela Bolsa de Valores.

Se for começar na renda variável, vá com calma. Estamos em um momento de muita volatilidade nos mercados. Aproveite esse momento para estudar e entender a dinâmica desses ativos.

Sobre a autora

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

Sobre o Blog

Dinheiro, finanças e investimentos de um jeito fácil e muito prático. O Descomplique vai fazer com que sobre grana no teu mês (e não o contrário!). Com linguagem simples e sem esconder as armadilhas do dia a dia que te deixam no vermelho, aqui você vai aprender a cuidar melhor do teu dinheiro e fazer com que ele trabalhe para você.

Descomplique