IPCA
0.13 Mai.2019
Topo
Descomplique

Descomplique

Categorias

Histórico

5 coisas sobre dinheiro que você deveria ter aprendido na escola!

Júlia Mendonça

2030-04-20T19:04:00

30/04/2019 04h00

Educação financeira deveria ser matéria básica na escola. Falo isso por experiência própria, já passei muito aperto no cheque especial e não tinha nem ideia da gravidade dessa situação, e, o pior, isso aconteceu quando ainda estava na faculdade. Só depois de muito estudo e dedicação às finanças, consegui perceber que não estava sozinha nessa e que boa parte da população sofre com falta de orientação.

Por isso decidi facilitar a sua vida trazendo as cinco coisas que não te ensinaram na escola sobre dinheiro. Alguns desses itens podem parecer óbvios para você, mas não deixe de ler o texto até o final. Há muitos conceitos de finanças que interpretamos de maneira totalmente errada ou que nem lembramos como funciona.

Veja também:

Precisando de dinheiro? Confira as regras para o saque do FGTS
Ganhe mais que a poupança: 3 investimentos para fazer por R$ 100 ou menos!
6 segredos que usei para sair de uma dívida de R$ 80 mil
Pense como rico: 5 hábitos para transformar suas finanças

1) Como fazer dinheiro sobrar

A promessa se repete sempre: "Vou começar a guardar dinheiro mês que vem!" Vira o calendário, e você não juntou nada. Para mudar essa situação, existe um truque que pode te ajudar muito nesse processo: a regra 50-30-20 do planejamento financeiro. Seguindo essa regra, dá para organizar suas finanças de um jeito fácil e bem prático.

Funciona assim:

  • 50% deverá ir para contas essenciais, aquelas que você depende para viver, como moradia, alimentação, transporte, dívidas
  • 30% é destinado para gastos eventuais, aqueles que deixam a vida mais divertida, como cinema, jantar fora, balada
  • 20% para planos futuros, que você pode pode dividir entre 10% para investimentos e 10% para realizar algum sonho, como viajar

Quando se tem dívidas, pode ser um pouco mais difícil ficar dentro desses valores. Não desanime se este for o seu caso. Anote todos os seus gastos e procure formas inteligentes de economizar. Neste vídeo eu dou várias dicas para você planejar melhor o seu salário.

2) Como funcionam os juros

O Brasil não é nem o país do futebol, muito menos do samba. É o país dos juros. Aqui encontramos os maiores do mundo, e por isso é tão importante conhecê-los, para não te levarem para o buraco. Se hoje você está utilizando R$ 1.000 do seu cheque especial com uma taxa de juros de 10% ao mês, saiba que se não pagar, os valores das próximas faturas são assustadores.

No primeiro mês sem pagar, a sua dívida sobe para R$ 1.100, ou seja R$ 1.000 da dívida original mais R$ 100 de juros. No segundo mês, os juros não vão mais agir sobre os R$ 1.000 do início, mas sim sobre os R$ 1.100 que você deve agora, ou seja, você passa a dever R$ 1.210. A dívida vai crescendo dessa forma, é o que chamamos de juros compostos. Em um ano, o poder dos juros sobre juros fará com que você deva R$ 3.000, sendo R$ 2.000 apenas de juros!

Não é só no cheque especial que você encontra essa taxa abusiva. Ela também pode detonar as suas finanças no rotativo do cartão de crédito. Se você está no vermelho, neste post eu conto os cinco segredos que usei para sair de uma dívida de R$ 80 mil.

3) Como funciona o cheque especial

Quando você abre uma conta no banco, seu gerente fala assim: "Pela sua renda você ganhou um limite de R$ 1.000 para usar como quiser!". Esse limite é o famoso cheque especial que tem uma das taxas de juros mais altas do sistema bancário, passando de 10% ao mês. Para saber se você está usando ou não o cheque especial, tem que ficar esperto. Já reparou no seu extrato ou no seu saldo algumas letras ou sinais de positivo ou negativo?

Alguns bancos usam a letra C ou o sinal de positivo para demonstrar que você tem crédito com o banco, ou seja, você colocou ou recebeu dinheiro na sua conta e tem aquele valor disponível para gastar. Por exemplo + R$ 2.000 ou R$ 2.000 C.

Se você estiver no vermelho ou usando o cheque especial, irá aparecer com um D ou um sinal de negativo, como por exemplo R$ 1.500 D ou – R$ 1.500. Se você estiver nessa situação, faça de tudo para sair dela o mais rápido possível, pois logo a sua dívida vai crescer muito.

4) Cartão de crédito pode ser seu amigo

Agora que você já sabe do tamanho dos juros do cartão de crédito, não vai ser nem louco de pensar em usá-lo se não puder pagar a fatura integral, né?!

Para quem tem auto controle, ele pode ser um aliado no momento em que um imprevisto ocorrer ou quando você precise comprar algo com um valor um pouco maior. Uma das maiores vantagens do cartão é a possibilidade de parcelamento, e, para saber quando vale dividir a compra, existe uma regra para te ajudar:

  • Descontos maiores do que 5%, pague à vista
  • Desconto menor do que 5%, divida no máximo de parcelas possíveis no cartão de crédito

Se você ainda tem dúvidas se tem a disciplina necessária para usar o cartão, este artigo pode te ajudar.

5) Como investir dinheiro

Cuidar das finanças é muito mais do que apenas não ficar no vermelho. É pensar no hoje e no futuro. Para isso, o ideal é que separe pelo menos 10% dos seus ganhos mensalmente para investimentos seguros e que tenham boa rentabilidade.

O jeito mais fácil de investir é por meio de uma corretora de valores, e elas funcionam como se fossem garçons que oferecem os investimentos que mais combinam com você. Dentro do home-broker (plataforma em que são oferecidas as aplicações da corretora), é possível investir em renda fixa, Tesouro Direto, ações, fundos, entre outros.

Não é preciso de muito dinheiro para começar a investir, neste post eu mostro 3 investimentos que você pode fazer com R$ 100 ou menos. Assim que você manda a ordem de compra desses ativos para a corretora, ela se encarrega de fazer todas as operações para garantir que seu dinheiro seja investido corretamente e também registra todo esse processo em várias instituições no seu CPF.

Na hora de escolher uma corretora, procure uma que tenha todas as certificações da B3, que não cobre taxa para renda fixa e Tesouro Direto e que tenha preços baixos de corretagem para investimentos de renda variável, como as ações.

Agora quero saber de você, comente aí embaixo qual é a sua maior dificuldade em relação às finanças.

Dicas de como planejar o seu salário – Descomplique #1

UOL Notícias

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

Sobre o Blog

Dinheiro, finanças e investimentos de um jeito fácil e muito prático. O Descomplique vai fazer com que sobre grana no teu mês (e não o contrário!). Com linguagem simples e sem esconder as armadilhas do dia a dia que te deixam no vermelho, aqui você vai aprender a cuidar melhor do teu dinheiro e fazer com que ele trabalhe para você.