IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Histórico

Categorias

Corretora recomendou investimento, posso confiar? 3 dicas antes de decidir

Júlia Mendonça

18/11/2019 04h00

*Erramos: este conteúdo foi alterado

Com a popularização da educação financeira, é muito fácil ter acesso a um assessor de investimentos e às recomendações das corretoras. Porém, muita gente desconfia dessas facilidades. Realmente, é preciso ficar atento e tomar alguns cuidados para não cair em armadilhas. Separei aqui três principais dicas.

1. Todo mundo ganha

Não se engane! Nada é de graça. A corretora de valores sempre vai ganhar alguma coisa com os seus investimentos, por mais que ela diga que é taxa zero e não cobre nada para você investir.

O modo mais comum de ganhar com o cliente é por meio do spread do investimento ou com taxas de corretagem.

Para explicar como funciona o spread, vou criar um exemplo: um banco emite um CDB (Certificado de Depósito Bancário) com uma taxa de 102% do CDI. Esse título será ofertado em corretoras de valor. Quando a corretora oferece este CDB para o cliente, será com uma taxa de 100% do CDI, e não mais como 102%.

O que aconteceu? Simples: a corretora fica com esses 2% para ela como pagamento, e vai repassar esse investimento como sendo taxa zero, sem cobrança nenhuma para o cliente.

2. Carteiras recomendadas

As carteiras recomendadas são outra forma bastante comum para que a corretora de valores ganhe dinheiro em cima do cliente. Funciona assim: todos os meses é divulgada uma carteira com ações e fundos imobiliários que têm potencial de maior valorização.

O cliente deve seguir as recomendações dessa carteira para ganhar mais nos investimentos. O problema é que, a todo momento que é feita uma compra ou venda de ativos, a corretora ganha um valor, correspondente à taxa de corretagem. Estimulando essa compra e venda todos os meses, aumenta o valor da corretagem que a corretora ganha.

É importante ressaltar que, hoje, existem corretoras que não cobram taxa de corretagem, tanto para a renda fixa como para a variável. Elas conseguem fazer isso ganhando dinheiro de outras formas, principalmente com operações de day trade, que podem exigir alavancagem e operações estruturadas.

3. Combina com você?

Para recomendar o melhor investimento para você, é necessário saber diversas informações pessoais: qual é o seu perfil de risco, quanto dinheiro você tem disponível para investir, quais são seus objetivos.

Já recebi muitas reclamações de pessoas que receberam recomendação de assessores de investimentos que não conheciam essas informações e recomendaram produtos totalmente inadequados ao objetivo do cliente.

Se você pretende investir para o curto prazo, deve procurar investimentos na renda fixa. Se não aguenta ver variação de valor nas suas aplicações, deve passar longe da renda variável. Só você consegue responder a essas perguntas. Se nada disso for perguntado na hora da sua recomendação, desconfie.

Na hora de escolher onde colocar sua grana, esteja bastante atento a esses pontos e evite ao máximo confiar seu dinheiro sem saber para onde ele está indo, quais são os custos ocultos e qual é o grau de risco deles. Como você faz para escolher os seus investimentos?

Veja também:

Descomplique: Você sabe a maior fonte de renda da Rihanna? Não é a música

*Errata: Uma versão anterior deste texto informava incorretamente, no quarto parágrafo, que CDB é a sigla de Certificado de Depósito Interbancário. Na verdade, corresponde a Certificado de Depósito Bancário. A informação foi corrigida.

Sobre a autora

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

Sobre o Blog

Dinheiro, finanças e investimentos de um jeito fácil e muito prático. O Descomplique vai fazer com que sobre grana no teu mês (e não o contrário!). Com linguagem simples e sem esconder as armadilhas do dia a dia que te deixam no vermelho, aqui você vai aprender a cuidar melhor do teu dinheiro e fazer com que ele trabalhe para você.

Blog Descomplique