PUBLICIDADE
IPCA
0,25 Fev.2020
Topo

Histórico

Categorias

Obrigar-se a fazer uma dívida para poupar dinheiro faz sentido?

Júlia Mendonça

31/01/2020 04h00

Criar uma dívida para forçar você mesmo a guardar dinheiro. A famosa poupança forçada é uma desculpa bastante usada por gerentes de bancos e vendedores de consórcio para atrair clientes. Será que essa é uma tática efetiva para guardar dinheiro?

Como forma de impor o hábito de poupar, muitas pessoas recorrem a produtos financeiros que criam a necessidade de pagamentos mensais. Fazendo isso, cria-se a impressão de que dinheiro é guardado e investido mensalmente sem a necessidade de planejamento ou disciplina.

Veja também:

Eu pago todas as contas da casa! Está certo isso?

Débito ou crédito: que cartão é melhor para você não afundar em dívidas?

Qual o melhor momento para trocar de carro?

Com este passo a passo, garanta sua viagem de julho sem ficar endividado

Os problemas

Existem diversos problemas com essa prática. O primeiro é que os produtos associados a essa prática são bastante ruins: título de capitalização, consórcio e até mesmo empréstimo consignado. Nenhuma dessas aplicações é ideal para formar uma poupança.

No consórcio as regras para a retirada de dinheiro são bastante complexas e muitas vezes o cliente perde valor caso solicite o resgate antes do vencimento do consórcio. Não é incomum que anos passem até que você seja sorteado. Além disso, não existe rentabilidade nessa aplicação, ou seja, seu dinheiro não cresce dentro do consórcio.

Outros tipos

No título de capitalização também existe muita dificuldade para a retirada do dinheiro antes do tempo. As chances de ser sorteado e ganhar o grande prêmio também são mínimas. No vencimento do título de capitalização o valor depositado não tem rentabilidade, ele é apenas corrigido pela inflação.

Os empréstimos consignados são a pior opção para forçar uma poupança. Você paga juros mensais em todas as parcelas, o que corrói demais seu patrimônio, sem falar que a chance de gastar o dinheiro proveniente do empréstimo com coisas desnecessárias é grande.

Além do problema com os produtos usados, a poupança forçada também pode atrapalhar demais o seu orçamento. Quando você insere uma parcela sem planejamento para ser paga mensalmente, a chance de se endividar por conta dela é muito grande.

Qual o segredo?

Para evitar esses problemas, não existe segredo. Poupar dinheiro sem ser forçado a fazer isso não é difícil, apenas requer disciplina. Comece fazendo um planejamento financeiro detalhado. Some todos os seus gastos, diminua dos seus ganhos e ajuste suas despesas para que sobre um valor mensalmente a ser poupado.

O pulo do gato está em não esperar até o final do mês para guardar essa grana. Assim que seu salário cair na conta, já transfira o valor destinado à poupança imediatamente. Dessa forma você evita gastar esse dinheiro com outras coisas e frustrar seu plano de economizar.

Se você escutar essa conversa de poupança forçada, fique de olhos abertos e fuja da pegadinha. Na grande maioria dos casos, você só irá prejudicar suas finanças ao invés de ajudar.

Descomplique: Passo a passo para limpar o seu nome sujo

UOL Notícias

Sobre a autora

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

Sobre o Blog

Dinheiro, finanças e investimentos de um jeito fácil e muito prático. O Descomplique vai fazer com que sobre grana no teu mês (e não o contrário!). Com linguagem simples e sem esconder as armadilhas do dia a dia que te deixam no vermelho, aqui você vai aprender a cuidar melhor do teu dinheiro e fazer com que ele trabalhe para você.

Descomplique