PUBLICIDADE
IPCA
-0,38 Mai.2020
Topo

Investimentos à prova de crise: como diminuir as perdas com coronavírus

Júlia Mendonça

17/03/2020 04h00

Estamos vivendo um momento bastante particular em nossa economia. Passamos por recordes de alta a uma das maiores quedas já registradas na história. Muita gente entrou nos investimentos com pouca experiência, com vontade de ganhar muito em pouco tempo, e agora todos estão desesperados com essa situação. Infelizmente, existe pouco o que pode ser feito neste momento, a não ser esperar pela recuperação da economia.

Alguns investimentos podem diminuir essas perdas, porém o ideal é que eles sejam feitos antes da crise. É o caso da renda fixa. Com a queda da taxa de juros, muita gente fugiu desses investimentos pela diminuição da rentabilidade, porém é essa classe de ativos que vai trazer segurança e estabilidade para sua carteira. Lembre-se: é melhor ganhar pouco em sua carteira do que perder muito.

Veja também:

Corte tudo, menos o lazer! Esse é o segredo para economizar 

Redes sociais podem gerar renda extra. Saiba como começar

Vontade de entrar na Bolsa no meio do turbilhão? Veja opções

O que fazer com os seus investimentos quando eles passam a desabar?

Não são só ganhos

Alguns ativos de renda fixa, como o tesouro IPCA e o prefixado, apresentaram prejuízo na carteira de algumas pessoas nas últimas semanas. Esse é um comportamento normal desses títulos em épocas de volatilidade. Não venda esses ativos no prejuízo, pois no vencimento de cada título é garantido que você terá o lucro contratado na compra dele.

Por meio do perfil de investidor, é possível descobrir o percentual de sua carteira, que deve ser destinado à renda fixa. Existem diversas formas para determinar essa fração e uma das mais comuns é a regra 80 menos a sua idade. Isso é, se você tem 35 anos, deve diminuir 35 de 80 chegando a 45, que é o percentual máximo que deve colocar em renda variável. Não é uma fórmula definitiva. Depende muito de quanto você entende de investimentos e quanto aguenta de volatilidade, porém é um bom guia para iniciar.

Proteção da sua carteira

Existem alguns investimentos que são conhecidos por manterem seu valor ou perder menos durante as crises. É a classe de investimento chamada de reserva de valor. São ativos em que o foco não é a alta valorização, mas sim a proteção de sua carteira de grandes desvalorizações.

Alguns exemplos de reserva de valor são ouro, dólar, euro, bitcoin e até mesmo joias. Em épocas de crise extrema, como a que aconteceu na Venezuela, as pessoas procuram esses ativos, pois não sofrem tanta desvalorização quanto a moeda local.

Faça sua reserva

Reserve parte da sua carteira de investimentos para esses ativos e compre-os aos poucos, todos os meses. Assim você garante um preço médio bom nesses ativos já que em alguns momentos irá comprar na baixa e em outros na alta.

Tenha calma no momento de histeria e não tome nenhuma atitude precipitada. Aproveite o momento para estudar e evitar repetir os mesmos erros no futuro.

Descomplique: Método para guardar até R$ 10 mil em um ano

UOL Notícias

Sobre a autora

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

Sobre o Blog

Dinheiro, finanças e investimentos de um jeito fácil e muito prático. O Descomplique vai fazer com que sobre grana no teu mês (e não o contrário!). Com linguagem simples e sem esconder as armadilhas do dia a dia que te deixam no vermelho, aqui você vai aprender a cuidar melhor do teu dinheiro e fazer com que ele trabalhe para você.

Descomplique