PUBLICIDADE
IPCA
-0,31 Abr.2020
Topo

Como a crise afeta a Bolsa de Valores e o que pode acontecer agora

Júlia Mendonça

27/03/2020 04h00

Com a chegada do coronavírus ao Brasil, tivemos uma das maiores quedas da Bolsa em um espaço curto de tempo. Muito medo e muita incerteza fizeram os mercados caírem de uma hora para outra, o que assustou muitos investidores e afastou muita gente das ações. O que podemos esperar da Bolsa para o futuro?

Antes de prosseguir com o assunto, quero que fique claro que não estou minimizando a saúde das pessoas, nem priorizando o dinheiro. A Bolsa de Valores reflete muito nossa economia e tem efeitos que podem ser sentidos diretamente em nossa vida, por isso vale a pena entender o que pode acontecer daqui para frente.

Veja também:

Veja cursos gratuitos para você fazer na quarentena 

Com juros reduzidos de novo, vale a pena ainda manter dinheiro na poupança?

Como proteger e cuidar melhor do seu dinheiro na crise do coronavírus 

Investimentos à prova de crise: como diminuir as perdas com coronavírus 

Expectativa do mercado

As cotações na Bolsa funcionam principalmente em cima da expectativa do mercado para os próximos meses. Se uma recessão ou um aumento no desemprego são possíveis nos próximos 3 meses, o mercado já considera hoje essa possibilidade.

Todos os mercados estão confusos sobre o que pode acontecer nos próximos meses, já que não existe histórico de crise parecida com tanta parada de serviços. Ninguém tem ideia de como será o impacto econômico real. Qual será o número de desempregados, qual será a queda no consumo e quanto tempo levaremos para recuperar a economia?

O fato é que os efeitos da crise deverão continuar por meses na bolsa. Mesmo após a quarentena acabar e a maioria das pessoas estiver curada, o resultado financeiro das empresas deve diminuir pelos meses que se seguem a esses eventos.

Até onde pode chegar

Ainda haverá muita volatilidade nas cotações e não se sabe qual é o fundo no preço das ações. É bastante possível que mais quedas aconteçam nos próximos meses. Alguns setores sofrerão mais que outros, como é o que já está acontecendo com as companhias aéreas e o setor de turismo. As ações dessas empresas já desvalorizaram mais de 50% desde o início da crise.

Tivemos uma enorme entrada de investidores na bolsa de valores no ano passado e muitos desses estão perdidos em relação à crise. Alguns já venderam os ativos logo após a queda, temendo perder mais dinheiro, outros estão comprando cada vez mais ações esperando uma rápida recuperação da economia e lucro rápido.

Apenas especulação

Qualquer previsão de recuperação neste momento é apenas um chute. Passaremos por momentos muito complicados ainda e o investidor pode esperar meses ou anos até que a bolsa volte a lucrar.

Se você já tem bastante experiência com ações, pode ser um bom momento para comprar. Porém, se você só quer entrar com promessas de lucros rápidos, muito cuidado. Não é fácil passar meses olhando sua carteira perdendo valor sem acreditar que um dia a bolsa vai se recuperar. Não entre na renda variável se não tem pensamento de longo prazo.

 

Dicas de como planejar o seu salário – Descomplique #1

UOL Notícias

 

Sobre a autora

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

Sobre o Blog

Dinheiro, finanças e investimentos de um jeito fácil e muito prático. O Descomplique vai fazer com que sobre grana no teu mês (e não o contrário!). Com linguagem simples e sem esconder as armadilhas do dia a dia que te deixam no vermelho, aqui você vai aprender a cuidar melhor do teu dinheiro e fazer com que ele trabalhe para você.

Descomplique